Cidade de

Corumbá Corumbá

Agora ºc Nublado
Escala
ºC ºF
Máxima
Mínima

CMB, Cidade Branca, Capital do Pantanal, Tríplice Fronteira do Centro-Oeste

Adicionar aos favoritos Remover dos favoritos

Corumbá fica no Mato Grosso do Sul, na fronteira do Brasil com a Bolívia e próxima ao Paraguai e à Argentina. Isso garantiu à cidade uma miscigenação que se refletiu na cultura, como o gosto pelo tango e a arquitetura no estilo art noveau.

Vale visitar
Porta de entrada para o Pantanal, Corumbá tem atrações que refletem diretamente esse apelo turístico. A começar pelas iguarias gastronômicas, como caldo de piranha e carne de cauda de jacaré. Os espaços para visitação também têm como tema o Pantanal. O Instituto Cultural Luis de Albuquerque tem no acervo animais empalhados, peças de tribos indígenas e objetos dos primeiros exploradores do bioma, que é o conjunto dos seres vivos de uma área. O Pantanal é um bioma que abrange Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

O Museu de História do Pantanal conta a história da chegada dos homens à região e tem um acervo de sons e imagens fazendo você se sentir no local. Já a Estação Natureza Pantanal tem maquetes e imagens das principais espécies pantaneiras.

Um dos locais mais procurados é o Casario do Porto, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Outro é a Casa do Artesão, que vende peças de couro, madeira, cerâmica, além de licores e aperitivos.

Vale visitar Bonito, um dos principais destinos de ecoturismo e de aventura do Brasil, distante 300 km de Campo Grande. Nas águas cristalinas, as cores dos peixes contrastam com o verde intenso da mata nativa.

Pantanal
O destaque turístico de Corumbá e o Pantanal. Você pode fazer uma incrível jornada pela Estrada Parque. São 120 km de terra, 87 pontes de madeira e uma balsa sobre o rio Paraguai entre Buraco das Piranhas e Corumbá. No trajeto, você pode avistar inúmeros animais silvestres, como capivaras, araras, veados, onças, cobras e jacarés.

As fazendas pantaneiras também são atrações sensacionais. Você pode conhecer a beleza selvagem e única do local. Há, ainda, os hotéis-barco para pesca amadora, que ofertam uma experiência com conforto e comodidade.

Avião/aeroporto
O Aeroporto de Corumbá recebe voos nacionais e conexões de voos internacionais.

O aeroporto internacional mais próximo a Corumbá é o de Viracopos , em Campinas, que recebe voos de Lisboa, Fort Lauderdale, Miami e Orlando.
Ônibus

Saindo da capital Campo Grande, você pode pegar um ônibus pra Corumbá, que fica a cerca de 425 km.

Metrô/Trem

Trem da Morte, que sai de Corumbá. A linha férrea leva de Puerto Quijarro até Santa Cruz de la Sierra.

Veículo pessoal ou alugado
Você pode contratar os serviços de uma agência de receptivo turístico para transfers e passeios.
Táxi

A maneira mais confortável de se deslocar pela cidade é de táxi. Consulte as empresas prestadoras desse tipo de serviço.

Prefeitura de Corumbá
Site de turismo Corumbá Incrível
Site de turismo em Corumbá
Portal Pantanal
Ecoturismo no Pantanal

O DDD (código de área) de Corumbá é 67.

110V

Pronto-socorro: 192 / +55 (67) 3231-5642 / +55 (67) 3231-6454
Fundação de Turismo de Corumbá: +55 (67) 3231-2886 / +55 (67) 3232-7139
Centro de Atendimento ao Turista: +55 (67) 3232-7139
Centro de Atendimento ao Turista Brasil-Bolívia: +55 (67) 3232-1934

A seca, entre maio e setembro, é o período ideal para visitar o Pantanal. As estradas de terra estão transitáveis e pouca presença de insetos. Na piracema (período de reprodução dos peixes), entre novembro e março, é proibida a prática pesqueira.

Leve protetor solar, para proteger contra insolações, e repelentes, para proteger contra insetos.
Para entrar no Brasil, não é obrigatório vacinar-se contra qualquer tipo de doença. No entanto, é recomendável estar vacinado contra febre amarela (doença transmitida pela picada de mosquitos contaminados) antes da visita. Caso você nunca tenha tomado a vacina, é preciso tomá-la até 10 dias antes da viagem (esse prazo não é necessário caso você já tenha sido vacinado anteriormente).

O avistamento de animais selvagens é uma prática que exige bastante cautela. Procure fazer passeios com guias especializados e lembre-se que não é um zoológico, mas sim um habitat selvagem.