Três dias no Jalapão, um paraíso de aventuras no Estado do Tocantins.

Adicionar aos favoritos Remover dos favoritos

Quando for para o Jalapão, deixe seu celular em casa. Observar cuidadosamente a natureza da região e aproveitar das atividades que há para fazer já seriam razões suficientes para não levar o telefone. Mas ainda há outra, e definitiva: ele não funcionará por lá.

Localizado em região isolada no Estado do Tocantins, o Jalapão é sem dúvida um dos mais incríveis destinos brasileiros. Você vai ter certeza disso enquanto caminha por trilhas que levam a cachoeiras, dunas e poços, na companhia de lobos-guarás, veados-mateiros e outros animais que compõem a fauna regional.

Destinos de
desta experiência
Mateiros
Dia
Adicionar aos favoritos Remover dos favoritos
Dia 1
Belas cachoeiras

O Parque Estadual Jalapão ocupa uma área de 34 mil km², maior do que os estados de Alagoas e Sergipe. Um enorme paraíso, onde para chegar é preciso pegar um avião até Palmas, a capital do Tocantins, e depois percorrer mais 190 km até Ponte Alta do Tocantins.

No local, há algumas agências de viagem, que organizam os passeios. Você pode fazer visitas independentes, mas tudo fica muito mais fácil contratando uma dessas empresas, que já possuem os veículos 4x4 próprios para enfrentar o solo arenoso, além de todo o equipamento utilizado nas aventuras e atrações.

Em Ponte Alta estão as atrações do primeiro dia: as lindas cachoeiras do município. As mais conhecidas são a da Fumaça, com seu poço de águas verdes, e a do Soninho, que tem uma piscina natural ótima para banhos.

Depois de se refrescar, o melhor é dormir pela cidade e guardar energia para o que vem por aí.

  • Destaques da Experiência
  • Atracão
  • Aeroporto
Dia 2
Estrada de terra

Hora de voltar para a estrada. De Ponte Alta até o povoado de Mateiros, perto das principais atrações, são mais 160 km em estrada de terra.

No entanto, há muito o que se ver pelo caminho. O Cânion do Sussuapara é pequeno e de fácil acesso, mas vale a visita, pelo belo visual das rochas e da vegetação.

A Cachoeira da Velha contrasta com o destino anterior: grandiosa e deslumbrante, possui tanta água que é chamada pelos locais de “Cataratas do Iguaçu do Jalapão”. Ali está a Prainha do Rio Novo, excelente para tomar banho e descansar. Depois, de volta ao carro, rumo às dunas, que chegam a 40m de altura e lembram um deserto. O lugar é palco de um pôr do Sol difícil de esquecer.

  • Destaques da Experiência
  • Atracão
  • Aeroporto
Dia 3
Quilombolas e rafting

Hoje é dia de fazer o caminho de volta, passando por outras atrações. A primeira é o Fervedouro, um poço em que não é possível afundar. De águas transparentes, fica em meio a uma vegetação fechada e cheia de bananeiras.

Em seguida, nos dirigimos ao Povoado de Mumbuca, onde quilombolas falam sobre seu modo de vida e vendem belas peças de artesanato aos visitantes, elaboradas com capim dourado, o “ouro do Jalapão”. Por fim, chegamos à Cachoeira do Formiga, pequena, mas bela e com grande volume d’água, que forma uma piscina natural em meio à vegetação local.

Ainda há muito o que fazer no Jalapão, como o rafting descendo as corredeiras do rio Novo e a trilha pela Serra do Espírito Santo, passeios que duram um dia inteiro. Mas, pensando bem, isso é um ótimo motivo para retornar a esse paraíso.

  • Destaques da Experiência
  • Atracão
  • Aeroporto
Aproveite!